Dicas da Fisioterapeuta – Dor física e depressão existe relação?

Superando a dor física e a depressão

Designed by Jcomp / Freepik
Designed by Jcomp / Freepik

Você sabia que a depressão e as dores normalmente caminham lado a lado?

É um fato indiscutível que o corpo e a mente estão ligados e, portanto, qualquer doença mental pode levar ao aparecimento de doenças físicas ou vice-versa. Os sinais e sintomas de depressão podem se manifestar de forma diferente de pessoa para pessoa, mas sabemos que mau humor, cansaço, ansiedade, tristeza e a dor são sintomas muito comuns para essa doença, além de trazer um impacto negativo sobre a nossa saúde e qualidade de vida. Então vamos entender um pouco mais sobre esse assunto.

É preciso saber que a depressão e a dor estão relacionadas sim e que muitas das vezes o indivíduo não consegue perceber que aquela dor, seja na coluna, no quadril ou no joelho está levando-o a muita tristeza, angústia, o desinteresse pelo convívio social, ir a festas então, nem se fala e o contrário também acontece.

“Tanto a dor pode levar à depressão, quanto a depressão pode levar a dor”

De acordo com uma grande pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a dor física é um dos sintomas da depressão grave e precisa ser assim considerada.  A depressão é uma complicação da dor crônica e, da mesma forma, um fator de risco, sendo necessário tratamento.

Vou contar pra vocês uma de muitas experiências que tive com atendimento domiciliar. Ao entrar na casa do paciente a minha avaliação já é iniciada.  Eu atendia uma paciente que quando eu chegava na casa dela, haviam poucas luzes acesas, janelas fechadas e cortinas escuras, mal dava para eu caminhar pela casa em direção ao quarto dela, local onde eu realizava a fisioterapia. Eu sempre pedia a ela para abrir a cortina para clarear e eu conseguir  usar meus aparelhos ou manipular a coluna dela, além do mais eu queria que o sol entrasse naquele quarto para beneficiá-la, mas ela sempre relutou a fazer isso. A escuridão era muito confortável  e a fazia bem, ela dizia. Minhas tentativas e dos familiares para que ela procurasse ajuda eram muitas, sempre com a resposta negativa. Até que um dia tive a oportunidade de conversar com uma psicóloga e ela me passou dicas para que a paciente entendesse a importância de procurar ajuda. A terapia foi iniciada e aquelas dores horríveis na coluna, foram com o tempo desaparecendo. A união com a psicóloga foi de extrema importância para eficácia do tratamento que eu realizava na paciente.

Além do mais, sair da cama, começar a andar, pegar sol e voltar a uma vida social normal, melhoram muito a nossa saúde física e mental.  Ai entra a parte química da história, os nossos conhecidos neurotransmissores.  A serotonina que é um hormônio que atua regulando o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, funções intelectuais e por isso, quando este hormônio se encontra numa baixa concentração, pode causar mal humor, dificuldade para dormir, ansiedade ou mesmo depressão.  E a Noradrenalina que é um neurotransmissor e hormônio ligado ao estresse, ligado ao sistema de alerta, por isso é de extrema importância para o sistema de dor. Ou seja, os níveis que estavam baixos, agora estão voltando ao normal e consequentemente  as dores na coluna sentidas por ela estão diminuindo também, além de outras condições que também levam a depressão. Mas esse tema eu vou deixar para a nossa colunista aqui do blog, Psicóloga Danielle Marks Fique ligado!

Quando a serotonina e a noradrenalina  estão em níveis baixos, a dor é sentida   mais amplamente.”

Dando continuidade a história da minha paciente. Com algumas sessões de terapia juntamente com a fisioterapia ela relatava estar livre de dor e repetia sempre que a vida dela voltou a ter cor, os sonhos voltaram, e que acordar sem dor é ver o espetáculo da vida. E essa frase como de tantas que já escutei e escuto dos meus queridos pacientes, fazem com que eu me realize cada vez mais com a minha profissão, ame cada vez mais, e me dedique sempre. Pois, sabendo que histórias com final feliz como essas vão se repetir na minha caminhada, pra mim é um conforto no meu coração.

Procure ajuda!

                         “Nunca é tarde para mudar a sua vida, ela só muda se você mudar”.

               

Para saber mais dicas como essa, me siga no instagram e no facebook e cadastre seu e-mail aqui no blog para ser avisado dos próximos posts.      

Um beijo e até a próxima leitura!   Alessandra Cardoso

Anúncios

7 comentários

  1. Muito bom o artigo. Havia coisas que eu já tinha lido antes no módulo de nutrição que fiz no curso de Gastronomia a cerca da serotonina e dopamina (neurotransmissores). Muito legal!

  2. Muito importante seu texto! Acredito realmente que a doença, a dor física sejam resultados de um emocional debilitado, portanto, tratar os dois é fundamental.
    E quanto ao sol, santo remedio mesmo! 🙏🏻☀️

  3. Eu, como dentista, vejo na minha clínica diária essa mesma relação. Embora não esteja na casa do paciente, após uma boa anamnese e algumas consultas é fácil encontrar vários fatores, como ansiedade, depressão e estresse que influenciam na saúde bucal.

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.