Final de ano, festas e escolhas

Você já sabe que o fim do ano chegou, e repetimos a mesma frase ano a ano:

 

“Nossa! Este ano passou rápido demais!”

 

Você já sabe que com ele vem aquele turbilhão de emoções que vão da euforia a depressão. Muitos planos que você queria ter realizado provavelmente conseguiu, espero que sim, mas talvez outros ainda serão meta para 2019. Você talvez sinta pura felicidade ou talvez momentos de tristeza quando parar para pensar no ano todo.

Fim de ano é tempo de repensar, refazer metas, aproveitar o que passou e planejar o que virá. Sabe aquele projeto que você tanto queria ter cumprido e não deu conta, aquela meta de iniciar algo novo que não foi desta vez ou aquela grana que você pensou que teria guardado e não foi possível? Geralmente olhamos o lado negativo, é natural do ser humano. Porém, lembre-se de considerar também tudo aquilo conquistou certo?

Sabe por que eu comecei este texto falando sobre comportamento e emoções? Porque são diretamente proporcionais ao nosso comportamento alimentar. É aí que bate o desespero!

Nesta época do ano é  desafiadora a quantidade de eventos de encerramento, e com eles aquela comilança toda acompanhada de bebidas adocicadas e bebidas alcoólicas, não é mesmo? Quantos eventos você já tem marcado aí na sua agenda?

Certo. Vamos procurar agora olhar tudo de forma mais clara:

  1. Apesar do seu ano ter sido uma loucura, certamente houveram diversas conquistas. Que tal evidenciar as vitórias e não as derrotas? Mesmo que não tenha sido de acordo com o planejado, tenho certeza que muitas coisas boas aconteceram. Então papel e caneta na mão, e faça uma lista de tudo que deu certo. Lembre-se de colocar na lista as coisas simples do seu dia que muitas vezes você nem presta atenção, mas tem uma importância fundamental na sua rotina. Um simples acordar para um novo dia já é maravilhoso.

cup-1010918_1280

Valorizar as vitórias vai ajudar para que você não desconte frustrações em comida, que você consiga comparecer aos eventos com satisfação e equilíbrio ao invés de ir comer tudo que não conseguiu executar no ano.

  1. Faça também um planejamento dos seus eventos. Organize-se para ter certeza que será possível comparecer a todos que você deseja. Ah! E você não precisa dizer sim para todo mundo, pense em você e na sua saúde física e mental. Não comparecer não significa que você vai gostar menos de alguém, e sim, dizer apenas que você precisa fazer escolhas quando necessário.

O foco aqui é estar consciente das atitudes ao invés de ir seguindo um fluxo que você nem sabe para onde e porque está indo.

  1. Agora que você já sabe para onde vai e porque vai faça as melhores escolhas alimentares. Não precisa comer tudo o que aparecer na sua frente. Por isso falamos no primeiro item em não comer frustrações. Se o seu evento é durante a noite, não deixe de fazer todas as suas refeições anteriores da melhor forma possível. Ficar sem comer de dia porque vai a pizzaria a noite é uma péssima estratégia, você vai comer o dobro. Seja consciente. Se for um buffet por exemplo, veja as opções antes mesmo de começar a se servir. Alguma vez você já ficou até constrangido porque fez um prato enorme e só se deu conta quando chegou ao final da fila do buffet? Verifique antes o que está servindo.

food-613238_1280

Escolha seus alimentos por preferências, considerando tudo que ele vai proporcionar, além do prazer instantâneo, que é uma sensação muito rápida. Veja se realmente vale a pena.

  1. Lembre-se que cada escolha do seu dia influencia o resultado de uma semana toda, que cada semana do seu mês influencia o resultado de um ano inteiro. Então, a escolha é no dia a dia. Assim fica mais fácil! Pensar no agora, no momento da refeição, estar presente e consciente em cada refeição ajuda você a escolher consciente. Se “só agora” você prestar atenção e fazer a melhor escolha, estará fazendo isso todos os dias, sem ser um sacrifício enorme.

Fazer as melhores escolhas não significa não comer alimentos calóricos e gordurosos. Que fique claro aqui que é completamente compreensível que doces e carboidratos refinados façam parte desta escolha. Minha dica é que seja consciente, sendo assim, tenho certeza que você não vai exagerar ao ponto de se arrepender depois e ficar com aquele sentimento de culpa terrível. E caso isso aconteça, procure não esperar até a próxima segunda-feira para voltar a se cuidar, comece imediatamente quando se der conta, já na refeição seguinte.

Fique atento aos reflexos de compensação, como tomar laxantes ou se matar na academia após momentos de exagero alimentar. Continue seus exercícios da mesma forma que você já faz ou adicione mais uma caminhada se necessário. Consumir mais vegetais, frutas e água pode ser uma estratégia, mas fique atento para que este comportamento de compensação não seja repetitivo. O “dar-se conta” deve vir antes de chegar ao ponto daquela sensação de culpa. Que tal arranjar um lembrete para você conseguir lembrar disso no momento crítico da sua refeição? Algo que só você saiba o que é? Pode ser uma foto no seu protetor de celular, pode ser um adereço diferente que você não tenha o hábito de usar, enfim, algo para te ajudar a deixar presente e consciente.

Gostou destas dicas? Então me conte se ela funcionou com você.

Bjo da Nutri


Cadastre seu e-mail no blog para ser avisado dos próximos posts, e siga a Nutricionista Sarah Simoni no Instagram e no Facebook.

http://www.sarahsimoni.com.br/

 

 

 

 

 

1 comentário

  1. Excelente! Você escreve muito bem!! A parte que uma escolha ruim possa comprometer todo um esforço de um período é real. Bjo! 🙏🏻🙏🏻🙏🏻

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.