Confissões de uma adolescente (de 37 anos)

Confissões de uma adolescente (de 37 anos).

É, porque tecnicamente, todo ser humaninho apaixonado volta a ser um adolescente, não é mesmo?

Eu já me apaixonei algumas vezes. Apesar da “cegueira” inevitável que a paixão nos causa, é bom demais estar apaixonado! Quantas sensações deliciosas sentimos! Uma das melhores para mim era aguardar por um telefonema e me derreter quando escutava a voz do outro lado da linha. Agora, em tempos de WhatsApp, de uma forma menos romântica, mas não menos enlouquecida, essa inquietude acontece quando o outro esta “online” e aparece na nossa telinha o “digitando”. Oh coisa boa! Coração acelera demais e você precisa respirar para voltar a si! (risos)

Não me deixem sozinha nesta confissão de adolescente em meus plenos 37 anos! Vai dizer que nunca sentiu isso também?

A paixão transforma o feio em belo, os minutos em eternidade, transforma a nossa rotina, a nossa maneira de ver a vida e com toda certeza, se ela se transforma em amor, ah, ai a felicidade está completa!

Mas se a paixão não se transforma em amor, valeu te-la vivido. Você irá rir das coisas que sentiu, de como viu o outro – antes incrivelmente perfeito e agora, bom, melhor nem comentar como você o vê agora (risos).

O bom esta em viver plenamente nossos sentimentos, são eles que nos permitem sermos quem somos. De corpo e alma. Com desejos, vontade de arriscar, com medos e tudo o mais.

Viva a paixão, mesmo que aos 37, 47, 57, 67…o sentimento que você carrega ao vive-la fará de você um adolescente novamente, e uma vez adolescente novamente, só Deus sabe quem estará escrevendo seus textos, o adulto ou o adolescente que existe em você?

Para acompanhar os novos posts da autora assine o blog, e siga Fernanda Matos nas redes sociais Instagram e Facebook

Anúncios

2 comentários

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.