A Super Detox

Você já deve ter ouvido falar muito sobre detox, você talvez já tenha até feito algum tipo de programa semanal ou mensal de detox. A detox do suco verde, do dia da maça, da água com limão ou algo do tipo.

 

Alguma vez você já se perguntou ou já realizou a detox emocional?

“Ah Nutri, o que é isso? E afinal, esta detox nem emagrece.”

 Será que não?

Não tenho como falar de detox sem falar de intestino e seu funcionamento. Pense aí como está o seu intestino, você vai todos os dias ao banheiro? Além de ir ao banheiro, suas fezes são normais? Bom, começou a consulta.

Esta é uma das investigações em uma consulta nutricional, e uma das mais importantes, onde geralmente os pacientes percebem o quanto não estão bem de verdade. Uma pessoa que não vai ao banheiro regularmente, normalmente é uma pessoa muito irritada, enfezada é um termo interessante, cheia de fezes afinal. E o que isso tem a ver com detox emocional então? Tudo!

Uma série de atitudes fazem com que uma pessoa consiga ir ao banheiro todos os dias, como alimentação adequada, ingestão de água, ingestão de fibras, atividade física, e ainda a relação dela com ela mesma. Se esta pessoa está super estressada, correndo como louca o dia todo, com os níveis de cortisol na estratosfera, como vai conseguir estar plena e feliz, se não tem tempo nem para ir ao banheiro?

Emoções também intoxicam.Pessoas tóxicas não afetam apenas relações, elas afetam também o corpo físico.

Sabe aquela pessoa que você fica cansado quando encontra com ela? Ou ainda você foge de encontrar porque nunca fica legal após terem passado um tempo juntos? Muitas destas relações provocam uma ansiedade gigantesca e você sai querendo comer até a geladeira algumas vezes. Já se percebeu numa situação assim? Então, é bem visível que detox emocional tem relação com saúde plena sim.

Ok, e agora? Bom, o passo número um é identificar esta situação. As vezes não é possível simplesmente retirar a pessoa ou o causador disso tudo de sua vida como se fosse um alimento alergênico.

Observar-se já faz com que você tenha a escolha da sua atitude.

Nada fácil este primeiro passo, é preciso estar muito conectado com o presente. A minha sugestão é: perceba-se, como se você andasse o tempo todo com um espelhinho e um holofote virados para você mesmo. A todo o momento note como você está se sentindo e quais as reações que está tendo.

Estou tranquilo?

Por que estou ansioso?

Estou com algum desconforto neste momento?

Respondendo a si mesmo estas e outras questões relacionadas a você mesmo, é possível realizar auto observação e assim, identificar intoxicações emocionais.

Porém, tem uma vírgula muito importante aqui.

“Eu sou o responsável por tudo que me acontece, a escolha é sempre minha.”

O outro está ali, causando um furacão dentro de você ou apenas uma brisa um pouquinho mais gelada. A decisão deste impacto será sempre sua. Haja controle emocional, certo? Importante lembrarmos que não podemos culpar os outros por fracassos nossos.

“Se eu estou incomodado com esta ou aquela pessoa, quem precisa rever algo sou eu mesmo.

Se incomodou é porque tem algo aí mal resolvido em mim.” Deu pra entender?

Detox

Isso tudo não significa que você vai eliminar esta pessoa, que vai  abandonar tal emprego, ou vai sair correndo de determinada relação. O que me parece mais sensato é mudar a forma de agir e de reagir com tais pessoas ou situações tóxicas. Por isso a importância da observação com espelho e holofote.

“Enquanto me analiso, decido o que fazer para que eu tenha o menor impacto e isto não me prejudique.”

Acredito também que uma pessoa que traga algum desconforto é uma grande oportunidade de revisão interna e promoção de alguma melhoria própria.

Aqui começamos a tal detox, aprender a modular as reações (e não deixar com que as toxinas entrem destruindo tudo, causando poluentes) será essencial para sua saúde como um todo.

Toda esta auto-observação é mais do que bem vinda em relação a alimentos. Como me sinto em relação a tal alimento? Como estou quando estou pensando neste alimento, quando estou olhando, cheirando, mastigando, ingerindo este alimento? Como ele caiu no meu estômago? Quais as reações ele provocou no meu organismo? Será que me deixou ansioso ou será que fiquei tranquilo? Alguma dor? Meu abdômen ficou distendido ou me sinto leve?

A auto-observação é maravilhosa, mas exige tempo. Se você comer como um trator desenfreado, não vai ter tempo nem da primeira parte que é olhar o alimento, imagine mastigá-lo.

Quando você identificar, vai conseguir escolher melhor os seus alimentos, respeitando o que o seu corpo tolera ou não. Meio caminho andado para sua reeducação alimentar e promoção de saúde.

Atingir este nível de consciência não é de uma hora para outra. Esta prática exige treino, como qualquer outra nova atividade. Muitas vezes você pode conseguir, e outras tantas, nem lembrar, o mais lindo é quando você consegue inclusive perceber que esqueceu. Já é um sinal de que sim, está se observando.

Pratique esta detox e depois me conte como foi.

SARAH SIMONI NUTRI E COACH


Sarah Simoni é Nutricionista, especialista em Nutrição Funcional pela VP Florianópolis, Especialista em Desenvolvimento de Grupos pela SBDG Joinville e Coach pela Nutrition Coaching.

Membro da Academia Brasileira de Nutrição Funcional, possui clínica em Caxias do Sul e atende também nas cidades de Farroupilha e Porto Alegre. Em seu rol de serviços estão: Nutrição Funcional, Coaching Nutricional, Consultoria para Noivas, Grupos de Emagrecimento Consciente, Oficinas de Cozinha Saudável.

Autora da coluna #NutriAjuda do Blog Mary Wellness, onde escreve sobre comportamento alimentar, autossabotagem, ansiedade e assuntos diversos que podem ajudar a melhorar a relação das pessoas com a comida.

Anúncios

5 comentários

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.