11 Funções das Proteínas em Nosso Organismo – com Receita

Nesse tempo em que o fitness virou moda, lifestyle, comunidade e afins, quando falamos em proteínas, nós imediatamente associamos à ideia de massa muscular. É claro que tal associação não é descabida, uma vez que depois da água as proteínas são o principal constituinte das fibras musculares. Mas essas “meninas poderosas” são na verdade superpoderosas e desempenham muitas outras funções além da formação da massa muscular! Vamos conhecer um pouco mais estes superpoderes?

Não atoa o filósofo alemão Friedrich Engels definiu a vida como: “O MODO DE AÇÃO DAS PROTEÍNAS”, porque proteína é vida, e vida é proteína agindo: sintetizando e degradando de forma contínua, tal qual respiramos.

A palavra proteína é derivada da palavra grega proteno ou proteus que significa “o primeiro”.

Praticamente todos os processos vitais dependem desta classe de moléculas.  Elas estão em maior quantidade e diversidade de funções nos sistemas vivos.

A proteína é o principal componente estrutural e funcional de todas as células, isso significa que cada célula nossa precisa de proteínas para ser formada, cada célula do corpo é parcialmente composta por proteínas, as quais necessitam de uma reposição contínua. As proteínas corporais estão constantemente e simultaneamente sendo sintetizadas (produzidas) e degradadas (quebradas para se transformar em moléculas menores, aminoácidos).

Este processo é conhecido como turnover proteíco, e fornece o pool de aminoácidos que são os constituintes das proteínas, e que podem, isoladamente, atuar como precursores (antecessores) do DNA, hormônios e outras moléculas importantes da nossa fisiologia.

Bem, para resumir, não existe no nosso organismo reserva de aminoácidos livres ou de proteínas, portanto a ingestão acima das necessidades do organismo será metabolizada. Por outro lado à deficiência pode causar em casos extremos de desnutrição proteica, ou estado catabólico, nosso organismo recorre a mecanismo adaptativo, tanto anabólico (reações de síntese ou construção) ou catabólico (reações de degradação ou quebra), com a finalidade de preservar a massa proteica.

Quando não ingerimos quantidades suficientes de calorias para suprir a necessidade energética do nosso organismo, o mesmo desvia as proteínas de suas funções plásticas e reparadoras normais para atender a demanda de produção de energia.  A necessidade de ingestão de proteínas e de aminoácidos depende das condições fisiológicas dos indivíduos, a minha prescrição não serve para você e vice e versa. Não adianta copiar a dieta do colega ou da revista.

O que acontece nas dietas de baixo “carbo” é que, se, a ingestão de carboidrato é menor que 150 grs./dia quantidades substanciais de proteínas serão metabolizadas para fornecer recursos energéticos. Portanto uma dieta equilibrada usa o carboidrato como “poupador de proteínas” porque permite aos aminoácidos cumprirem seu papel no reparo e manutenção da proteína tecidual, formar enzimas, neurotransmissores, células imunológicas, hormônios e outras, ao invés de serem utilizadas como fonte de energia.

São de extrema importância para nosso corpo às funções das proteínas, então seja você carnívoro, vegetariano, vegano, atleta ou não, saiba que as proteínas não podem, e não devem faltar no seu prato.

FUNÇÕES DAS PROTEÍNAS:

As proteínas desempenham funções vitais em praticamente todos os processos biológicos (relativos à nossa vida).

  1. Catálise enzimática: praticamente todas as reações químicas que ocorrem em nosso organismo são catalisadas pela ação das enzimas ( as enzimas são proteínas que aceleram as reações químicas), desde as mais simples até as mais complexas como a replicação de um cromossomo. As enzimas aumentam a taxa das reações em ao menos um milhão de vezes. Praticamente todas as enzimas conhecidas são proteínas, podemos, grosso modo, afirmar que enzimas são, então, “proteínas aceleradoras”;
  2. Transporte e armazenamento: algumas proteínas são conhecidas como transportadoras porque transportam moléculas pequenas através do sangue, como por exemplo, o ferro que é transportado pela proteína transferrina, e é estocado no fígado na forma de um complexo com outra proteína de nome ferritina;
  3. Estrutural: dentre as proteínas com função estrutural, podemos destacar o colágeno e elastina, que formam a matriz de ossos e ligamentos, pele, tendões, membranas e órgãos.
  4. Contração muscular: as proteínas são a principal componente do tecido muscular e a contração é realizada por meio de deslizamento de dois tipos de filamentos de proteínas, a actina e a miosina.
  5. Proteção imunológica: nossos anticorpos também são proteínas, que reconhecem e se ligam a antígenos, como vírus, bactérias e outros;
  6. Geração e transmissão do impulso nervoso: proteínas denominadas receptoras são responsáveis pela resposta da célula nervosa a um estímulo específico.
  7. Regulação hormonal: muitos hormônios são proteínas como, por exemplo: a insulina, o GH (hormônio do crescimento), a prolactina, e outros.
  8. Expressão gênica: proteínas controlam e regulam a transcrição (é quando o DNA começa a formar a partir dele mesmo o RNA) e a tradução gênica (quando o RNA produz a proteína com a sua informação genética).
  9. Fluídos e balanço eletrolítico: as proteínas ajudam a manutenção do volume e composição dos líquidos corporais, a albumina tem uma função importante como reguladora dos fluidos corporais.
  10. Equilíbrio acidobásico: as proteínas ajudam a manutenção do balanço acidobásico dos líquidos corporais, agindo como um “tampão”.
  11. Energia: embora não seja a sua principal ação, as proteínas também fornecem energia, sendo próximo de quatro calorias por grama.

Mas afinal, qual proteína é melhor? As de origem vegetal ou animal? O que são as proteínas chamadas de alto valor biológico?  Este será o tema do próximo post, então se inscreve ai ao final para ser avisado, e não perder nenhum conteúdo.

Agora segue uma receita de panqueca salgada sem glúten e com muita proteína para você, ao final você pode assistir o vídeo com o modo de preparo da panqueca em duas versões, doce e salgada, ambas sem glúten.

RECEITA DE PANQUECA SEM GLÚTEN

Ingredientes:

  • 1 colher de sopa de farinha de tapioca
  • 1 colher de sopa de farinha de aveia
  • 1 ovo
  • 1/2 colher de chá de sal
  • Ervas ou cheiro verde a gosto
  • 1 colher de chá de óleo de coco Santo óleo

Modo de preparar :

  • Misture todos os ingredientes secos, junte o ovo e bata bem até ficar homogênea a mistura.
  • Leve ao foto uma frigideira antiaderente, coloque o óleo de coco, junte  a massa e quando dourar um lado vire para cozinhar o outro.
  • Pronto agora é só rechear a seu gosto, e se deliciar.  No vídeo fiz um recheio de frango desfiado com queijo cotagge de búfala, tomate cereja e manjericão.

É sem dúvida a mais gostosa que vc já viu…rs porque comer, quem comeu foi eu, e se você quiser vai ter que fazer, então vou te deixar com água na boca.

 

Um super beijo,

M.W.


Referências:

Guia de Suplementos Alimentares para Atletas –1ª Edição –Autor: Delavier, Frédéric / Gundill, Michael – Editora Manole

Suplementação Nutricional na Prática Clínica – Autora Denise Carreiro 

Nutrição e suplementação esportiva: Aspectos metabólicos, fitoterápicos e da nutrigenômica – Editora Phorte

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.